segunda-feira, 31 de agosto de 2015

O poder da música

"A música pode livrar-nos da depressão, é um remédio, um tónico, é 'sumo de laranja' para os ouvidos. Para muitos dos meus pacientes neurológicos, a música é ainda mais outra coisa: ela tem o poder que nenhuma medicação tem para o falar, para o movimento, para a vida. Para esses pacientes, a música não é um luxo, é uma necessidade."

Oliver Sacks (1933 - 2015)

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

O leitor compulsivo

Todos os que gostam de ler e de livros vão adorar este artigo de opinião. É especialmente pensado para os "leitores compulsivos". Em 10 mandamentos, reúnem-se 10 características dos leitores compulsivos. Eu gosto muito de ler, mas não me revi em dois dos mandamentos. Seja como for, para quem ama a leitura há muita verdade neste compêndio de mandamentos. Para ler, abrir aqui.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

O que diz Tarkovski #22

"O cinema é um mistério. É um mistério para o próprio realizador. O resultado, o filme acabado, deve ser sempre um mistério para o realizador, caso contrário não seria interessante."


segunda-feira, 24 de agosto de 2015

A Fnac de Barcelona

É assim a secção de livros de arte (sobretudo cinema e música) na Fnac de Barcelona. E a objectiva da câmara não conseguiu captar a prateleira que falta (clicar na imagem para aumentar).

domingo, 23 de agosto de 2015

Entrevistas a Buñuel e Cave

Em Espanha existe um mercado livreiro muito mais vasto do que em Portugal. Basta visitar uma livraria especializada ou uma FNAC. Em Barcelona entrei na FNAC da Praça Catalunha e fiquei deslumbrado com a quantidade, diversidade e qualidade dos livros editados. A secção de livros de cinema e música ocupam no mínimo dois armários inteiros do chão ao tecto. Muitas edições são estrangeiras, mas muitas outras são de escritores espanhóis sobre os mais diferentes temas. 

Há também muitas traduções de livros editados nos EUA e em Inglaterra. Perante tanta oferta é difícil escolher (até porque os preços também não são propriamente convidativos). No final acabei por comprar estes dois livros, curiosamente de entrevistas a dois ídolos meus: o músico Nick Cave e o realizador Luis Buñuel. São duas edições preciosas porque o leitor é confrontado com as opiniões dos artistas na primeira pessoa. As entrevistas a Buñuel são particularmente interessantes porque o cineasta espanhol explica a sua visão e interpretação dos seus filmes mais importantes. O mesmo faz Nick Cave em relação à sua música (e não só) em 30 anos de "conversas sinistras".

Saí da FNAC espanhola com a clara frustração que deixava dezenas de outros bons livros para trás...
Era assim que deveria ser o mercado livreiro em Portugal.


sexta-feira, 21 de agosto de 2015

GIF de cinema

Se querem conhecer o melhor gif de cinema que já vi, abram este link. Tem a ver com Hitchcock.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Sobre "Solaris"

Eis um interessante ensaio em vídeo de 5 minutos sobre "Solaris" (1972) de Andrei Tarkovski. Para compreender melhor a visão artística e filosófica do realizador russo sobre a ciência, a ficção, e a existência humana na Terra. 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

"Star Wars" no cinema mudo

Imaginem como seria a saga "Star Wars" se tivesse sido realizada na mesma época do "Nosferatu" (1922) de F.W. Murnau ou "Metropolis" (1927) de Fritz Lang. Ou seja, em pleno apogeu do cinema mudo.
Seria qualquer coisa como isto:

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

O realismo de Gallo

Revi o magnífico filme "Essential Killing" (2011) de Jerzy Skolimowski e voltei a sentir incómodo nesta incrível sequência (real e não encenada): Mohammed (espantoso Vincent Gallo) é um fugitivo esfomeado. De tal forma que, quando se depara com uma mulher com um bebé ao colo, percebe que amamenta e, desesperado, suga à força do peito da mulher o leite materno.
É uma cena que causa grande impacto, mais a mais por se saber que não foi encenada: Vincent Gallo, adepto do mais duro realismo, fez questão de beber mesmo o leite do peito de uma verdadeira mãe que amamentava um bebé.





















sábado, 1 de agosto de 2015

Pausa

Vou finalmente gozar férias. E gozar férias é também fazer uma pausa em actividades que nos preenchem o resto do ano, como escrever neste blog. Não quer dizer que Agosto não publique algum post, mas só se se justificar. Necessito de descanso e de refrescar ideias. Reforço a ideia que não é um fim, apenas uma pausa temporária.

Boas férias aos leitores.